Pagina Principal Artigos IJSN lança Avaliação de Impacto do Programa Jovens Construtores

IJSN lança Avaliação de Impacto do Programa Jovens Construtores

Cedaps

Na noite de quarta-feira (26), em uma live organizada pelo CEDAPS e pelo Instituto Jones dos Santos Neves – IJSN, foi lançada a Avaliação de Impacto do Programa Jovens Construtores (PJC). O evento contou com a participação de convidados do BID, UNICEF e Secretaria de Estado de Direitos Humanos, e de Economia e Planejamento do ES.

Com mediação de Daniel Becker, médico pediatra, conselheiro e fundador do CEDAPS, o pesquisador Daniel Cerqueira apresentou os resultados da avaliação. Cerqueira é Diretor-presidente do IJSN, membro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) e coordenador do Atlas da Violência no Brasil. No evento virtual cujo tema foi: “Juventudes no Brasil: O impacto de estratégias de ampliação de oportunidades”o pesquisador trouxe dados importantes sobre a realidade do jovem no Brasil, como os desafios que enfrentam e acarretam na alta proporção daqueles que não estudam e nem trabalham, principalmente os que residem em territórios mais vulneráveis. 

De acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), 23% dos jovens brasileiros não estudam e não trabalham. E os jovens sem experiência laboral possuem 50% de chances de obter o primeiro emprego apenas depois de 27 meses de procura.

O Programa Jovens Construtores, uma tecnologia social voltada para a formação-ação de jovens de favelas e periferias, atua com o objetivo de ampliar oportunidades para jovens que vivem nesses territórios. E foi o impacto da ação do Programa que foi avaliado por Daniel Cerqueira, com pesquisa em duas comunidades que receberam o PJC no Rio de Janeiro, Borel e Mangueira. A coleta foi realizada a partir de um experimento controlado, através de entrevistas com jovens participantes e não participantes do Programa, e avaliou cinco dimensões: vínculo educacional; vínculo ao trabalho; participação comunitária; valores, atitudes e aspectos emocionais; e violência e envolvimento com justiça criminal.

>Saiba mais sobre o Programa Jovens Construtores

“Uma ênfase muito grande do Programa Jovens Construtores é a colocação profissional desses meninos, por dois caminhos, primeiro, com soft skills (habilidades interpessoais), mudança de comportamento, como fazer uma entrevista, como fazer um currículo, e por outro lado, uma busca ativa de emprego para os meninos”. Daniel Cerqueira

Alguns dados da Avaliação: 

Durante a live, que teve ricas contribuições ao debate por parte dos convidados, Melissa Abla, Coordenadora Nacional do PJC, destacou: “o quanto é importante a gente ter políticas e programas que sejam transdisciplinares e interdisciplinares, porque estamos falando de indivíduos, pessoas com suas complexidades que trazem demandas que são sistêmicas. Não adianta apenas ensinar um ofício, a gente não ensina, a gente desenvolve  habilidades em conjunto, e é disso que a metodologia do CEDAPS fala, Construção Compartilhada de Soluções Locais”. 

Hugo Sabino, jovem construtor e assistente de projetos do CEDAPS, também esteve presente, e deu seu depoimento: “ao ouvir o Daniel Cerqueira apresentando a Avaliação de Impacto, era como se eu estivesse vendo a minha trajetória nesses sete anos junto ao Programa Jovens Construtores (…) eu fiz a graduação no Programa em 2015, na época eu tinha 18 anos, eu era um jovem concluindo o Ensino Médio, mas não tinha muita visão de mundo, eu naturalizava as violações de direitos que eu sofria diariamente e também não estava muito preocupado com o conceito de comunidade (…). A partir do meu processo de formação no Programa, eu pude iniciar um curso técnico de design gráfico e logo após iniciar um trabalho formal como Agente Comunitário de Saúde”.

O evento ainda contou com a presença de Rodrigo Serrano Berthet, representante do BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento, que investe em metodologias sociais e financiou a Avaliação de Impacto do PJC; Nara Borgo, Secretária de Estado de Direitos Humanos do Espirito Santo, que abordou sobre os desafios enfrentados na pandemia e a atuação transdisciplinar para atendimento sistêmico das demandas juvenis em seu estado; Luciana Phebo, Coordenadora do Território Sudeste e Chefe do Escritório do Rio de Janeiro do UNICEF, que falou sobre os desafios da juventude no acesso às oportunidades diante das consequências da pandemia, e a importância da reflexão sobre intervenções que gerem impactos; e Álvaro Duboc, Secretário de Estado de Economia e Planejamento do Espírito Santo, que apresentou a experiência da inclusão juvenil no Programa Estado Presente em Defesa da Vida.

 

O texto para discussão (TD 62) "Avaliação de impacto do Programa Jovens Construtores com base em um experimento randomizado controlado" pode ser acessado aqui.



O conteúdo gravado está disponível no YouTube e pode ser assistido abaixo.

  

 

Com informações: Ascom CEDAPS